A Revista Portuguesa de Farmácia surge como sucessora ao Jornal dos Farmacêuticos, após proposta de um grupo de sócios do Sindicato Nacional dos Farmacêuticos no início de 1951. 


A sua diversidade de conteúdos, desde artigos de caráter científico, até algum noticiário e informação de caráter profissional, garantiu à Revista Portuguesa de Farmácia um público fiel. Foram vários os farmacêuticos de renome que colaboraram com esta revista, nomeadamente Aluísio Leal, Nogueira Prista, Barros Polónia, Aloísio Fernandes Costa, Cardoso do Vale, Lupi Nogueira, entre outros [1].


O seu fim deu-se em 2001, sete anos após a criação da Revista da Ordem dos Farmacêuticos.



Bibliografia

[1] – Silva, A.C. Correia da (1998). Farmácia: História e Profissão. Colectânea de Estudos e Ensaios. Lisboa: Ed. Ordem dos Farmacêuticos.

Revista Portuguesa de Farmácia