Com a união das associações de farmacêuticos nacionais em Sindicato Nacional dos Farmacêuticos, devido à imposição do Estado Novo em 1933, foi criado Jornal do Sindicato Nacional dos Farmacêuticos.

 

Em 1936 apenas foram editados três números deste jornal que depois interrompeu a sua publicação até 1940.

 

Na edição de abertura, em mensagem aos sócios, o Sindicato Nacional dos Farmacêuticos ressalva que esta publicação “procurará defender os interesses profissionais colectivos, dignificar a Farmácia Portuguesa para a impor, elevá-la a um nível intelectual, social e moral, que a justifique, e seja o alicerce das suas aspirações, como profissão de elite” [1].

 

O jornal termina, com esta designação, em dezembro de 1941, passando a ser publicado com o título Jornal dos Farmacêuticos [1].

 

Bibliografia

[1] – Silva, A.C. Correia da (1998). Farmácia: História e Profissão. Colectânea de Estudos e Ensaios. Lisboa: Ed. Ordem dos Farmacêuticos.

Jornal do Sindicato Nacional dos Farmacêuticos